HISTÓRIA

HISTÓRIA


O Cheerleading teve sua formação através da constituição da National Cheerleading Association (NCA) em 1948, fundada por Lawrence Herkimer. O principal objetivo do Cheerleader de Dallas, Texas era de regulamentar e organizar campeonatos de Cheerleading.

Na década de 60, o Cheerleading começou a ser inserido no cenário escolar, uma vez que o esporte já era muito praticado por universitários. Em 1978, o Cheerleading competitivo tomou forma e iniciaram-se os campeonatos regionais e nacional dos Estados Unidos da América.

Continuando o sucesso de equipes formadas dentro de escolas e universidades, as equipes All-Stars começaram a ser criadas. Um dos maiores marcos do esporte, aconteceu também na década de 80, quando a ESPN lançou a primeira competição nacional de Cheerleading.

Com o crescimento da modalidade, nasceu a necessidade de um conselho nacional do esporte e educação. Em 2004, foi criada a International Cheer Union, que é a responsável pelo crescimento do Cheerleading mundialmente e também organizadora do campeonato mundial da modalidade, que ocorre todo ano na Disney, em Orlando – Flórida, Estados Unidos.

Hoje em dia, a ICU, conta com filiações de 110 federações de Cheerleading de países diferentes. O reconhecimento do esporte pelo COI, fez com que o Cheerleading tenha uma nova missão, preparar o esporte para ser incluído no programa olímpico. Em fase de teste, seis seleções de países diferentes participaram do primeiro teste durante os Jogos Olímpicos de inverno de 2018. A inserção do Cheerleading competitivo às modalidades olímpicas foi um fator importantíssimo na vinculação do Cheerleading como esporte, desmistificando o conceito de Cheerleading ser apenas uma dança.

No Brasil, o Cheerleading teve início em 2006 quando o professor Wendel Dantas com auxílio da Chilena Tatiana Zapata iniciou os trabalhos de divulgação da modalidade no país. Em 2007, a União Brasileira de Cheerleaders (UBC) - empresa privada de Cheerleading no Brasil, tendo como presidente Rodrigo Gonçalves, fez seu primeiro contato com a Universal Cheer Association (UCA), tornando-se filiada à International Cheer Union (ICU) em 2009. No ano de 2011, Rodrigo Gonçalves então viaja para o Chile, onde encontra Benjamin Beltran e volta com uma bagagem de campeonatos e realiza o primeiro campeonato de Cheerleading do país em São Paulo: O Campeonato Nacional de Cheerleading e Dance.

Em 2008, o jovem Cauê Souza, amante da modalidade e praticante nos Estados Unidos, retornou ao Brasil e iniciou o trabalho de divulgação e prática da modalidade junto com outros praticantes no Estado do Rio de Janeiro.

Em 2011, a também amante e praticante do Cheerleading, Lara Magalhães retornou ao Brasil e começou a atuar na pequena cidade de Sabinópolis - MG. Com vasta bagagem internacional, Lara Magalhães se tornou presidente fundadora da primeira Associação Brasileira de Cheerleading do país, Associação Mineira de Cheerleading Eagles, sediada na capital mineira Belo Horizonte. Além da primeira Associação do país, em 2017, Lara Magalhães também organizou o primeiro Campeonato Brasileiro de Cheerleading em uma Arena Olímpica, na cidade do Rio de Janeiro.

Em 2018 a primeira Federação do país, Federação do Estado de Minas Gerais de Cheerleading e Dança foi fundada, em seguida os Estados de São Paulo e Paraná uniram-se à Minas Gerais e juntos foram responsáveis pela substituição da primeira Associação Brasileira de Cheerleading, Associação Mineira de Cheerleading Eagles que em 2019 se tornou em Confederação Brasileira de Cheerleading e Dança.

instagram

Fonte: Latimes - Lawrence Herkimer